Ficha de Notícia

Talenting™ Interviews

"Os pratos da balança, profissional e empresa, nunca estiveram tão equilibrados"

25 de Janeiro de 2019


PME Magazine: Quais os principais desafios que as empresas enfrentam, hoje, ao nível da gestão dos Recursos Humanos?

José Morais Barbosa: Portugal atravessa, grandes desafios de sustentabilidade, ao nível do desenvolvimento do seu Capital Humano. Se, por um lado, muitos são os diretores que afirmam que o ativo mais poderoso das suas equipas são as pessoas, não é menos verdade que ainda existe um largo caminho a percorrer, no que toca à promoção, valorização e desenvolvimento dessas pessoas diz respeito.

Hoje, urge desenvolver políticas de recursos humanos que, para além de incrementarem os níveis de compromisso e de identificação dos colaboradores com as suas empresas, tenham um verdadeiro impacto no Negócio.

PME. Mag: Qual o futuro das relações laborais?
J.M.B: Numa época em que vão já longe os chamados “empregos para a vida”, variáveis como valores de vida, propósito ou sentido de missão, têm assumido um lugar central no futuro das relações laborais.
Exceção feita ao setor público e ao setor empresarial do Estado, é ponto assente que os vínculos laborais são, cada vez mais, mais flexíveis e incertos.

Hoje, o facto de um profissional estar efetivo na sua empresa, não é já fator impeditivo para terminar com a relação laboral, se assim entender ser mais vantajoso. No meu entender, longe de ser tido como uma catástrofe, este fenómeno vem criar oportunidades aos profissionais que, vendo-se num ambiente de maior incerteza, se tornam mais abertos a sair da sua zona de conforto, apostando mais na sua formação e desenvolvimento.

Por outro lado, não é menos verdade que este fenómeno de incerteza não é já exclusivo do profissional, sendo também sentido pelas empresas que, se quiserem reter os seus talentos, têm de esgrimir argumentos e desenvolver verdadeiras políticas de employer branding, que vão muito além do vencimento.

Posto isto, os dois pratos da balança – profissional e empresa – nunca estiveram tão equilibrados, facto que recentra a importância dos departamentos de recursos humanos nas organizações.

PME. Mag: Que balanço faz desde da sua entrada na Talenter até agora?
J.M.B: Quando abracei o desafio Talenter, fi-lo seguro de estar a ingressar na principal empresa portuguesa de recursos humanos e gestão do talento.  Integrado na estrutura comercial da Talenter, a minha missão tem passado por dar um novo impulso à unidade de formação corporativa da empresa, posicionando-a como um ator com voz ativa no setor dos recursos humanos. Desde a minha entrada no projeto, a área de formação corporativa da Talenter tem-se vindo a reinventar, estando hoje ao nível das maiores academias internacionais do setor.

Passado este tempo, estou seguro que a Talenter é já o percursor de formação mais expressivo a atuar, em Portugal, no nicho específico dos recursos humanos e da gestão de talento. Por seu turno, o ano que agora se inicia, será o ano da consolidação da unidade de formação corporativa da Talenter, tendo nós a plena consciência dos principais desafios que enfrentamos se quisermos continuar a ser a academia de referência na formação dos profissionais de recursos humanos.

PME.Mag: Como podem as empresas beneficiar do apoio de uma empresa de Gestão de Recursos Humanos como a Talenter?
J.M.B: A Talenter é muito mais do que uma empresa de Trabalho Temporário, Recrutamento e Seleção ou Outsourcing, na medida em que apresenta soluções integradas de gestão de pessoas e talento.

De facto, sempre que abraçamos um novo projeto, temos a preocupação de conhecer a fundo a cultura e os desafios do nosso cliente, focados que estamos em lhe oferecer soluções que vão muito além da simples atração e seleção de perfis.

Por outro lado, mesmo sendo uma empresa que atua na área do trabalho temporário, a Talenter começa a ser tida pelo candidato como uma empresa onde este pode crescer e desenvolver a sua carreira.

Escolhendo a Talenter como parceira, os nossos clientes têm a segurança de estar a escolher uma empresa ímpar na gestão dos seus colaboradores, cujas ambições e projetos de carreira são tidos em linha de conta. Neste campo, a nossa unidade de formação tem vindo a assumir um papel redobrado na capacitação e desenvolvimento dos nossos colaboradores que valem, assim, muito mais para as empresas nossas clientes.

PME.Mag: Em que consiste a Academia de Formação da Talenter?
J.M.B: No lado das soluções de calendário, a Academia de Formação é a única academia a desenvolver ações de formação focadas, em exclusivo, no nicho específico dos recursos humanos e da gestão de talento. As ações de formação da Talenter, sendo eminentemente práticas e de curta duração, têm o mérito de ser facilitadas por profissionais que trabalham em diferentes empresas, nas mais variadas posições ligadas aos recursos humanos e à gestão de pessoas.

Com esta estratégia, para além de combater o falha que (ainda) existe entre (algumas) academias de formação e o mercado, temos a preocupação de dar aos nossos formandos ferramentas e soluções que estes possam implementar na sua realidade profissional, logo após saírem da nossa academia.

No lado das soluções customizadas dentro da empresa, cedo tivemos a intenção de apostar em metodologias inovadoras, fora da caixa, com verdadeiro impacto, por um lado, na pessoa e, por outro, no negócio. Aqui, destaco metodologias como o Agile, o Design Thinking, o Storytelling ou o Lego Serious Play, entre outros, como caminhos privilegiados para resolução de problemas, apelando à criatividade e ao espírito crítico de quem “constrói, desbloqueando conhecimento, através de handstorming e storybuilding.

PME.Mag: Quais os próximos desafios para a Talenter na área Your Company?
J.M.B: Como referi, este será o ano da consolidação da Talenter Academy no mercado. Queremos chegar a mais empresas, nunca desvirtuando o nosso posicionamento e o ADN que nos caracteriza e apaixona: a gestão de pessoas.

Posto isto, continuaremos atentos aos talentos ligados aos recursos humanos das nossas empresas, tendo a preocupação de fazer a ligação entre as suas competências e alguma necessidade/lacuna do mercado. Sempre que sentirmos que determinado profissional poderá aportar valor aos nossos clientes, não deixaremos de o desafiar a desenhar soluções de facilitação que poderemos implementar, em conjunto.

Por outro lado, em 2019, iremos lançar a 1ª edição do nosso Executive Master Course em Gestão Hoteleira, por acreditarmos que, também aqui, temos uma palavra a dizer no que à gestão de pessoas e talento diz respeito. Neste programa, os nossos formandos terão a oportunidade partilhar conhecimento com os principais líderes ligados à gestão dos grandes hotéis a operar em Portugal.

Por fim, reforçaremos a nossa aposta em metodologias diferenciadoras de formação, empenhados que estamos em combater o sistema de formação expositiva que, para além de se encontrar desatualizado, tem hoje um impacto praticamente nulo na pessoa e no negócio.